Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autor: Costa, José Luiz Macedo
Título: Liquefação Direta de Lixívia Negra e de Lignina da Hidrólise Ácida de Eucalipto em Reatores Batelada e Contínuo
Ano: 1989
Orientador: Prof. Dr. José Augusto Rosário Rodrigues
Coorientador: Prof. Dr. Ulf Friedrich Schuchardt
Departamento: Química Inorgânica
Palavras-chave: --
Resumo: Estudou-se a liquefação direta de Iixívias negras, procedentes do processo de polpação de madeiras como eucalipto, pinus elliiotti e taeda, e de Iignina obtida como subproduto na hidrólise ácida do eucalipto, através do sistema formiato de sódio/água/argônio. As reações foram realisadas em condições de hidrogenólise e hidrólise ácida em temperaturas e pressões de até 300°C e 12 MPa, em uma autoclave de 1I e um reator tubular contínuo, com 3 metros de altura e diâmetro nominal de 1 11/2", ambos projetados e construídos para esta finalidade. As conversões das matérias-primas, bem como a qualidade e o rendimento em óleo foram afetados por parâmetros como: diluição da matéria-prima, pH do meio reacional, quantidade de formiato de sódio adicionado, temperatura, pressão e pH de extração da fase orgânica. O uso do formiato de sódio como redutor se mostrou importante na melhora da qualidade e do rendimento em óleo, possibiIitando a liquefação em temperaturas mais baixas. O rendimento em óleo mostrou-se dependente da procedência da matéria-prima. Obteve-se 87,7% de rendimento para a lixívia Rigesa I, 44,5% para a Iixívia Champion I e 14,6% para a Champlon II (reator contínuo), 71,5% para a Iixívia Rigesa II, 35,5% para a Rigesa III (reator contínuo), 47,1% para a lignina hidrolítica de eucalipto na autoclave e 61,0% no reator contínuo. Os produtos obtidos foram caracterizados como óleo pesado com capacidade calorífica de até 39,1 MJ kg, percentagem mínima de oxigênio de 23,7% e relação H/C máxima de 1,3. Os óleos pesados foram caracterizados ainda por espectroscopia IV, RMNH e análise elementar. Na fase aquosa observou-se principalmente álcoois e ácidos carboxílicos. O único produto gasoso detectado na reação de liquefação foi o dióxido de carbono.
Abstract: Direct Iiquefaction of black Iiquor was studied from the puiping process of wood like eucaliptus, pinus elliiotti and taeda, and of Iignin obtained as subproduct in the acid hydrolysis of eucaliptus through the sodium formate/water/argon system. The reactions were realized under hydrogenolysis and acid hydrolysis conditions at temperature and pressures of 300°C and 12 MPa, in a 1 I autoclave and a continuous tubular reactor with 3 m high and nominal diameter of 1 1/2", both projected and buiit to that purpose. The conversions of raw-materials as well as the quality and the oil yield were affected by parameters Iike: raw-material dilution, pH of the reactional environment, quantity of sodium formate added, temperature, pressure and pH of extraction of organic phase. The use of sodium formate as reductor showed a relevant improvement in the quality and the yield of the oil; making possible the Iiquefaction under lower temperatures. The oil yield showed to be dependent to the raw-material origin. It was obtained 87,7% of yield to Iiquor Rigesa I, 44,5% to Champion I and 14,6% to Champlon II (continuous reactor), 71,5% to Rigesa II, 35.5% to Rigesa III (continuos reactor), 47,1% to eucaliptus hydrolitic Iignin in the autoclave and 61,0% in the continuous reactor. The products obtained were characterized as heavy oil with calorific capacity of about 39,1 MJ kg, minimum percentage of oxygen of 23,7% and maximum relation H/C of 1,3. The heavy oils were characterized by spectroscopy IV. RHNH and ele- mentary analysis. In the aqueous phase, it was mainly observed alcohols and carboxylic acids. The only gaseous product identified in the liquefaction was carbon dioxide.
Arquivo (Texto Completo): vtls000029390.pdf ( tamanho: 6,94MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ